Páginas

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Escrevo obrigado


Escrevo por obrigação
Poderia também dizer escrevo de teimoso ou por paixão
Mas não. Escolhi dizer, por obrigação.
Sou obrigado. A escrever por satisfação.
Talvez pela alegria de já ter sido uma vez premiado, reconhecido e condecorado.
Com uma boa nota na escola,
Com um sorriso de um leitor, ainda que tenha sido meu próprio pai, minha mãe ou mesmo só o professor.

Escrevo para me fazer entendido
E ainda assim, se só angario inimigos
Só me sinto ainda mais desafiado
A romper o silêncio de ter sido calado
Por uma crítica mais afiada
Escrevo para por o pingo nos is e não um ponto final
Escrevo para estabelecer o diálogo
Para provocar uma réplica
Para reestabelecer a comunicação
Escrevo, por não ter outra opção, escrevo por obrigação

Não precisa ser um livro, ou um artigo,
Pode ser apenas uma linha, nela minha angústia encontra abrigo
Escrevo como desabafo, como vingança por tanto ter lido
Escrevo para estruturar o pensamento e desestruturar os desentendimentos
Escrevo por ser,
Obrigado.